Boi gordo recua R$ 2/@ em São Paulo, sendo negociado a R$ 313/@, informa a Scot

Notícias

Apesar da forte pressão de baixa gerada pelos frigoríficos, as cotações da arroba seguem sustentadas pelo bom ritmo das exportações brasileiras de carne bovina.

Com a melhora de oferta de boiada gorda e, consequentemente, o alongamento das escalas de abate, os frigoríficos de São Paulo abriram as compras desta terça-feira (24/8) derrubando em R$ 2/@ as cotações do macho terminado, informa a Scot Consultoria.

Agora, o boi gordo é negociado a R$ 313/@ no mercado paulista, enquanto a novilha e a vaca prontas para abater valem R$ 307@ e R$ 292/@, respectivamente (valores brutos e a prazo), segundo dados da Scot.

Levantamento realizado nesta terça-feira pela IHS Markit apontou estabilidade nos preços do boi gordo na maioria absoluta das praças pecuárias brasileiras (veja abaixo as cotações de machos e fêmeas terminados em diferentes regiões do País.

Na avaliação da IHS, a retração do consumo doméstico de carne bovina dita o ritmo do mercado do boi gordo, colocando em evidência – mais mais uma vez –  a influência das exportações no comportamento atual dos preços da arroba bovina, que seguem em patamares elevados, apesar da pressão de baixa imposta pelas indústrias frigoríficas.

Na terceira semana de agosto, o volume embarcado alcançou 130,4 mil toneladas, com uma média diária de 8,69 mil toneladas/dia, um avanço de 11,8% em relação à média de agosto/20 e 15,1% superior à média diária do mês de julho/21, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Nesta última semana avaliada, o preço médio da tonelada exportada ficou em US$ 5,66 mil, alta de 41,3% na comparação com o mesmo período de 2020.

Segundo a IHS, nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Norte, os frigoríficos não apresentam grande urgência para adquirir animais terminados.

“Algumas grandes indústrias que atuam nessas regiões estão fora das compras de boiadas, em função das escalas de abate mais confortáveis, hoje girando entre 7 e 8 dias”, ressalta a IHS.

Na região Norte e Nordeste, há uma maior escassez de oferta de animais terminados, e as escalas de abate das plantas locais se encontram entre 4 e 5 dias, relata a consultoria.

No mercado futuro, os preços do boi negociados na B3 registram quedas em quase todos os contratos, refletindo as prolongadas escalas de abate dos frigoríficos, em consonância com o menor ritmo das vendas da carne bovina no atacado nesta fase final do mês.

Os papeis com vencimento em outubro/21 e novembro/21 recuaram, respectivamente, R$ 0,65 e R$ 1,50, para R$ 313/@ e R$ 318,60/@.

O contrato de vencimento mais curto apresentou variação positiva de R$ 1,40, permanecendo em linha com os preços praticados no mercado físico de São Paulo.

No mercado atacadista, os preços dos principais cortes bovinos, assim como do couro e sebo industrial, seguem estáveis, informa a IHS Markit.

A dificuldade de escoamento da carne no varejo persiste, impossibilitando a procura por reposição.

O mercado espera a manutenção deste cenário de estabilidade até a possível reação de consumo, que pode ocorrer, sazonalmente, na primeira semana de setembro, a partir do recebimento dos salários no quinto dia útil do mês.

Cotações máximas desta terça-feira, 24 de agosto, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:

boi a R$ 316/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 310/@ (à vista)
vaca a R$ 300/@ (à vista)

MS-C.Grande:

boi a R$ 312/@ (prazo)
vaca a R$ 302/@ (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ 313/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 295/@ (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 296/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 300/@ (à vista)
vaca a R$ 289/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 300/@ (à vista)
vaca a R$ 290/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 302/@ (prazo)
vaca R$ 292/@ (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 304/@ (prazo)
vaca a R$ 294/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 312/@ (à vista)
vaca a R$ 296/@ (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 312/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 311/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 298/@ (à vista)
vaca a R$ 288/@ (à vista)

RS-Porto Alegre:

boi a R$ 315/@ (à vista)
vaca a R$ 300/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 315/@ (à vista)

vaca a R$ 300/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 295/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ 294/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 298/@ (prazo)
vaca a R$ 285/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 298/@ (prazo)
vaca a R$ 287/@ (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 295/@ (à vista)
vaca a R$ 287/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 300/@ (à vista)
vaca a R$ 294/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 298/@ (prazo)
vaca a R$ 284/@ (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ 288/@ (à vista)
vaca a R$ 259/@ (à vista)

Por Portal DBO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *