Outubro começa em clima de tensão no mercado do boi gordo

Notícias

Preços dos animais prontos para abater abrem o primeiro dia de outubro em queda nas principais praças pecuárias, repetindo desempenho registrado ao longo do mês passado.

Neste início de outubro, as atenções se voltam para o comportamento dos frigoríficos brasileiros no curto prazo.

Enquanto isso, olhando pelo retrovisor, só se enxerga quedas nos preços da arroba nas últimas semanas, inclusive no primeiro dia de outubro, conforme apurou nesta sexta-feira a IHS Markit (veja abaixo as cotações de machos e fêmeas terminados nas principais regiões do País).

À espera de uma resolução do impasse envolvendo a China, as indústrias reduziram drasticamente as compras de boiadas nas últimas duas semanas, o que fortaleceu a pressão baixista no mercado pecuário.

Porém, o início de mês é marcado pelo recebimento do salários, o que poderá contribuir para a melhoria de renda da população e, assim, estimular o consumo interno de carne bovina, setor que também vem patinando nas últimas semanas.

Segundo a IHS Markit, nesta sexta-feira, 1º de outubro, o mercado do boi gordo continuou travado, resultando em novas quedas nos valores da arroba em diversas praças brasileiras.

“Sem a presença de grande parte das unidades de abate nos negócios, principalmente as exportadoras, a pressão baixista ganhou força em praticamente todo o País”, relata a IHS Markit em boletim pecuário divulgado nesta sexta-feira.

De acordo com a consultoria, cresce os temores quanto ao redirecionamento de mercadorias presentes nos portos ao mercado doméstico, devido à surpreendente demora do governo chinês em reabrir o seu mercado de carne bovina aos exportadores brasileiros.

“O foco das indústrias é adequar a produção da proteína ao consumo vigente, por isso ainda haverá muitas unidades que só deverão retornar às atividades após a segunda semana de outubro”, avalia a IHS, acrescentando que o adiamento de abates e a queda na capacidade operacional das plantas frigoríficas ajudaram a postergar o recebimento de animais, gerando escalas de abate virtualmente mais confortáveis.

Além disso, continua a IHS, muitas indústrias relataram que a necessidade de compra de gado na primeira quinzena poderá ser menor em função do recebimento de lotes oriundos de confinamentos próprios ou de negócios a termo fechados com os frigoríficos, o que aumenta o grau especulativo sobre o enfraquecimento dos preços da arroba.

Segundo dados da Scot Consultoria, nesta sexta-feira, o preço do boi gordo registrou estabilidade nas praças paulistas, após acumular uma queda de R$ 9/@ ao longo da semana.

Portanto, pelo levantamento da Scot, o macho terminado segue valendo R$ 293/@ (preço bruto e a prazo), enquanto a vaca e a novilha prontas para abater são negociadas a R$ 292,50 e R$ 288,50/@, respectivamente (valores brutos e a prazo).

Na bolsa B3, os contratos futuros do boi gordo com vencimento para 2021 passaram a operar abaixo de R$ 300/@, refletindo o atraso na solução em relação aos embarques à China.

No atacado, os preços dos principais cortes bovinos, bem como do sebo e couro industrial, abriram outubro estáveis, apurou a IHS Markit.

Cotações máximas desta quinta-feira, 1 de outubro, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:
boi a R$ 291/@ (prazo)
vaca a R$ 283/@ (prazo)
MS-Dourados:
boi a R$ 289/@ (à vista)
vaca a R$ 276/@ (à vista)
MS-C.Grande:
boi a R$ 291/@ (prazo)
vaca a R$ 276/@ (prazo)
MS-Três Lagoas:
boi a R$ 286/@ (prazo)
vaca a R$ 272/@ (prazo)
MT-Cáceres:
boi a R$ 281/@ (prazo)
vaca a R$ 271/@ (prazo)
MT-Tangará:
boi a R$ 281/@ (prazo)
vaca a R$ 271/@ (prazo)
MT-B. Garças:
boi a R$ 278/@ (prazo)
vaca a R$ 268/@ (prazo)
MT-Cuiabá:
boi a R$ 276/@ (à vista)
vaca a R$ 266/@ (à vista)
MT-Colíder:
boi a R$ 276/@ (à vista)
vaca a R$ 269/@ (à vista)
GO-Goiânia:
boi a R$ 283/@ (prazo)
vaca R$ 273/@ (prazo)
GO-Sul:
boi a R$ 286/@ (prazo)
vaca a R$ 271/@ (prazo)
PR-Maringá:
boi a R$ 296/@ (à vista)
vaca a R$ 281/@ (à vista)
MG-Triângulo:
boi a R$ 291/@ (prazo)
vaca a R$ 276/@ (prazo)
MG-B.H.:
boi a R$ 291/@ (prazo)
vaca a R$ 276/@ (prazo)
BA-F. Santana:
boi a R$ 291/@ (à vista)
vaca a R$ 281/@ (à vista)
RS-Porto Alegre:
boi a R$ 303/@ (à vista)
vaca a R$ 285/@ (à vista)
RS-Fronteira:
boi a R$ 303/@ (à vista)
vaca a R$ 285/@ (à vista)
PA-Marabá:
boi a R$ 279/@ (prazo)
vaca a R$ 273/@ (prazo)
PA-Redenção:
boi a R$ 281/@ (prazo)
vaca a R$ 276/@ (prazo)
PA-Paragominas:
boi a R$ 287/@ (prazo)
vaca a R$ 279/@ (prazo)
TO-Araguaína:
boi a R$ 281/@ (prazo)
vaca a R$ 273/@ (prazo)
TO-Gurupi:
boi a R$ 278/@ (à vista)
vaca a R$ 271/@ (à vista)
RO-Cacoal:
boi a R$ 278/@ (à vista)
vaca a R$ 266/@ (à vista)
RJ-Campos:
boi a R$ 293/@ (prazo)
vaca a R$ 281/@ (prazo)
MA-Açailândia:
boi a R$ 286/@ (à vista)
vaca a R$ 265/@ (à vista)
Por Denis Cardoso

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *